Como funciona o pagamento do Seguro Residencial?

Por 22 de março de 2021Residencial e Lazer
pagamento do seguro residencial

Para o seguro de casa fazer parte do planejamento financeiro doméstico, é importante saber como funciona o pagamento do seguro residencial.

Será que estamos falando de algo que pode parcelar? Ou o consumidor precisa pagar em uma só vez? Como é feito, afinal, o pagamento de um seguro residencial?

Cotação online de Seguro Residencial

Formas de fazer o pagamento do Seguro Residencial

O pagamento que o cliente faz para a seguradora tem um nome técnico: prêmio.

Portanto, ao pagar esse prêmio, o segurado tem direito a uma indenização caso o sinistro ocorra.

Mas como o consumidor que deseja contratar um seguro residencial pode efetuar o pagamento desse prêmio?

Há diversas formas de fazer o pagamento do seguro residencial. É possível pagar/quitar de uma só vez ou então parcelar.

No caso de pagar em parcelas, as empresas aceitam que os pagamentos ocorram, por exemplo, mensalmente, durante a vigência do contrato. Entretanto, muitas vezes propõem até mesmo descontos especiais no valor do produto para longos pagamentos (30 meses, por exemplo).

As propostas são várias, assim como os formatos de pagamentos. Boleto ou débito automático são alternativas à disposição dos segurados que. Então, dessa forma, os segurados têm melhores condições para planejar a contratação do produto.

Afinal, assumir os gastos de um prejuízo inesperado pode comprometer o orçamento familiar. Principalmente quando todos os danos são considerados separadamente. Em geral, as despesas com cada um deles são bem maiores do que o valor de um seguro.

Ter ou não ter um Seguro Residencial?

Agora que você sabe como funciona o pagamento do seguro residencial, vamos saber um pouco mais sobre ele.

O seguro residencial é conhecido por oferecer proteção ampla para o imóvel. Ele resguarda o morador de vários imprevistos, por um baixo custo. 

Válido até mesmo para casas de temporada na praia ou no campo, o seguro residencial ampara a estrutura do imóvel e os bens do morador. Ah, também se estende às residências alugadas. Assim, ele resguarda os bens quando contratado pelo inquilino e amparando a estrutura do imóvel quando contratado pelo proprietário.

Deve entrar na balança ainda uma característica peculiar do seguro residencial. Ele é um produto totalmente personalizável. Ou seja, se  adapta às mais diversas necessidades e perfis de clientes.

Mas todos que desejam contratar um seguro residencial farão isso tendo como base a contratação da chamada “cobertura básica”. Ela é a mínima necessária em todo contrato. Essa cobertura inclui danos por incêndio, explosão, fumaça e queda de aeronave.

Porém, é a partir dessa cobertura que o segurado pode personalizar o seguro. Ele pode contratar coberturas que fazem mais sentido para cada imóvel e região.

Em geral, as coberturas mais procuradas se referem a:

  • Roubo e furto de bens;
  • Danos elétricos;
  • Prejuízos causados a terceiros;
  • Vazamento de tubulações;
  • Negócios em casa.

Os tais imprevistos

Além das várias possibilidades de coberturas existentes, diversos seguros residenciais oferecem aos clientes os chamados serviços emergenciais. Eles têm como foco:

  • Realização de pequenos reparos;
  • Serviços de chaveiros;
  • Eletricistas;
  • Reparos em máquina de lavar e outros eletrodomésticos;
  • Até mesmo instalações de olho mágico, prateleiras e varais.

Quando o Seguro Residencial é mais acionado?

O segurado pode acionar o seguro residencial de acordo com as coberturas contratadas. Porém, é sempre indicado ler com atenção o contrato para conhecer as situações que permitem o acionamento e as respectivas indenizações.

Mas, geralmente, os seguros são mais acionados nas seguintes ocasiões:

  • Prejuízos com eletrodomésticos queimados;
  • Incêndios ou pequenas explosões;
  • Vendavais;
  • Queda de granizo;
  • Danos causados a terceiros;
  • Quebra de vidros;
  • Roubo ou furto de bens.

Não é nada complexo acionar o seguro residencial caso ocorra algum sinistro com cobertura contratada.

Porém, o importante é comunicar com rapidez a seguradora ou o corretor. Formalize o aviso de sinistro e o pedido de indenização para o ressarcimento.

Cumprida essa etapa, a seguradora solicitará as documentações necessárias. Aí então, quando tudo é entregue, o segurado só precisa aguardar informações quanto aos procedimentos para receber o dinheiro.

Seguro Residencial X Seguro Condominial

O seguro residencial e o condominial não são a mesma coisa, mas confundem muitas pessoas. Portanto, fique por dentro das diferenças.

Seguro Condominial

O conhecido seguro de condomínio, é obrigatório para prédios comerciais, residenciais e os mistos. Entretanto, contratar esse seguro é de responsabilidade do síndico, não do morador.

Trata-se de um produto que protege as áreas comuns (portaria, salão de festas, hall, playground etc.) e também toda a estrutura dos prédios.

Seguro Residencial

Você pode contratar o seguro residencial para proteger o patrimônio. O segurado pode, então, optar pela contratação do seguro para resguardar a estrutura do apartamento e/ou também os bens que estão dentro do imóvel.

O melhor Seguro Residencial

Já mostramos para você aqui como funciona o pagamento do seguro residencial, além de diversas outras características. 

É possível considerar como o melhor seguro residencial aquele que atende às necessidades do cliente. Portanto, tudo tem início com a escolha das coberturas que façam mais sentido para o tipo de imóvel e perfil do segurado.

Outro item que contribui para a obtenção do melhor seguro se refere à seguradora contratada. Para isso, é preciso ter sempre em vista empresas que apresentem credibilidade, experiência, além de atendimento de qualidade.

Deseja saber agora mesmo quanto custa um seguro residencial? Faça uma cotação online

 

Última atualização em 22/03/2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply