Skip to main content

Mercado de seguros: o que esperar nos próximos anos?

Por 24 de novembro de 2021Mobilidade
mercado de seguros

O mercado de seguros está mudando. Comprar e usar seguros agora está mais flexível graças ao formato conhecido como “pay as you use” ou “liga e desliga”.

Nele, é possível que os segurados ativem, alterem ou pausem suas coberturas, de forma simples, com a ajuda de aplicativos.

Esta é uma modalidade que ganhou força em 2021, alavancada pelas circunstâncias trazidas pela covid-19. 

Porém, ela não deve desaparecer em 2022. Muito pelo contrário, deve se popularizar ainda mais!

O mercado de seguros vem diversificando sua operação. Com isso, tem investindo em tecnologias para oferecer produtos mais acessíveis, que beneficiem a todos os públicos. 

E o que mais podemos esperar do mercado de seguros nos próximos anos?

Então saiba agora o que mais vem por aí!

Cotação online de Seguro Auto

Novo mercado: seguro que liga e desliga  

Já pensou em pagar apenas pela cobertura que você quer e somente quando você acha que precisa dela?

Essa é a ideia do modelo “pay per use” ou “liga e desliga”, como são conhecidos os seguros que podem ser acionados quando o cliente precisa. 

No mercado de seguro automotivo isso significa que é possível “ligar” o seguro quando o veículo está em movimento e “desligá-lo”, quando o veículo está guardado na garagem.

Sonho? Não! Já é uma realidade!

Apesar de parecer nova, essa modalidade já é bem conhecida do mercado americano e europeu, desde 2016. 

E agora, chegou a vez do Brasil e da América Latina de se beneficiar com as facilidades deste tipo de contratação.

A iniciativa vem ganhando popularidade por aqui desde 2019, quando a Superintendência de Seguros Privados (Susep) liberou a criação de seguros com “prazo reduzido” e com “vigência intermitente”, por meio da Circular Nº 592.

Mas, o que é seguro com prazo reduzido e com vigência intermitente?

A referida Circular definiu que:

  • Vigência reduzida de contrato: acontece quando a contratação do seguro é fixada em meses, dias, horas, minutos, jornada, viagem, trecho ou outros critérios;
  • Período intermitente: é caracterizado pelo período em que o segurado ou beneficiário encontra-se efetivamente amparado pela cobertura contratada. 

Este período pode ser descontinuado por critério(s) de interrupção e recomeço. Neste modelo também é possível fazer a inclusão ou exclusão de cobertura dos riscos.

Portanto, de modo geral, tanto o seguro com prazo reduzido, como o seguro com vigência intermitente, permite que os segurados ativem, alterem ou pausem a cobertura de seus seguros na hora que bem entenderem.

E esta ação, geralmente, é possível de ser feita de maneira autônoma, por meio de aplicativos. Ou seja, sem a necessidade de entrar em contato com a seguradora. 

O objetivo de ambas as modalidades é facilitar a vida do consumidor e permitir a ele pagar somente pela cobertura que deseja, apenas quando entender ser necessário.

Como funciona o seguro liga e desliga?

Na prática, funciona assim: 

  • O carro está na garagem? Basta usar desabilitar o seguro pelo aplicativo; 
  • Saiu com o carro? É só “ligar” a cobertura novamente. 

Essa forma nova de contratação oferece ao cliente conveniência, simplicidade e total controle dos gastos. 

Nesse modelo, o motorista paga uma assinatura mensal acrescida de um valor (em centavos) por cada quilômetro rodado. O preço do quilômetro varia de acordo com o algoritmo de precificação da empresa seguradora.

Qual a vantagem do seguro liga e desliga para o mercado?

A proposta do seguro “liga e desliga” tem como vantagem adequar o mercado de seguro às reais necessidades do consumidor.

Isso quer dizer que ela foi pensada para oferecer um produto “sob demanda”, a um valor customizado.

Essa facilidade estimula a contratação de seguros, mas dentro de um novo formato, que faz um uso inteligente da tecnologia. Isso renova as relações de consumo e atende a um novo perfil de clientela.

Quais são as empresas que estão mudando o mercado de seguros?

O mercado de seguros tem se reinventado nos últimos anos, buscando novas formas de se encaixar em uma sociedade em constante transformação.

Isso ficou ainda mais evidente durante a pandemia da Covid-19 e do isolamento social, no qual as pessoas usaram menos os seus veículos. 

Neste novo cenário, a necessidade de fazer seguros durante este período caiu na mesma proporção. Foi aí que o formato de seguro liga-desliga passou a ser de extrema relevância.

Outra questão é que a pandemia também fez com que os brasileiros pensassem mais no futuro, aumentando a procura pelo seguro de pessoas. 

Este volume abre espaço para a criação de ofertas “liga e desliga” para outros tipos de seguros, além do seguro auto.

E as iniciativas já começaram a aparecer. 

Um exemplo de empresa que está simplificando este processo é a Thinkseg, empresa que, a propósito, foi a pioneira no desenvolvimento do seguro auto Pay Per Use no Brasil. 

Atuando como uma insurtech, a empresa vem trabalhando, desde o primeiro semestre de 2021, com o seguro auto com assinatura mensal.

E quais são as tendências para o mercado de seguros nos próximos anos?

Veja agora quais são as principais tendências para o mercado de seguros para os próximos anos:

Contratar seguro sem burocracia

Uma tendência que deve se firmar no próximo ano é a diminuição da burocracia na contratação de seguros com a chegada das insurtechs. Isso porque elas têm tornado todos os processos mais simples. 

Com os serviços prestados por elas, as visitas presenciais às seguradoras e a necessidade de papelada estão com os dias contados. 

Essas startups usam a tecnologia para permitir que qualquer pessoa contrate um seguro pela internet, de forma simples, rápida e segura.

Uso do seguro sob demanda

Além da contratação 100% online, outra tendência que veio para ficar é a do seguro sob demanda: pay per use / liga e desliga.

Qualquer pessoa poderá montar o seu seguro, usá-lo e, até mesmo cancelá-lo, de forma autônoma, por meio do próprio aplicativo.

Pagar de acordo com o perfil de uso

Atualmente, antes de fechar um contrato, uma seguradora analisa o perfil do candidato, a partir do preenchimento de um formulário.

As informações compartilhadas são usadas como base para calcular o valor do seguro.  

Mas, isso irá mudar nos próximos anos, graças aos algoritmos de análise de comportamentos. 

Com eles, as empresas seguradoras poderão entender melhor o perfil de cada consumidor, personalizar os planos e, até oferecer vantagens a quem é mais cuidadoso.

+ Veja também: Como calcular Seguro de Vida?

Cotação online de Seguro Auto

Última atualização em 24/11/2021

 

Deixe uma resposta