Skip to main content

Sensor e câmera de ré valem a pena?

Por 21 de fevereiro de 2022Mobilidade
câmera de ré e sensor de estacionamento

Antes restritos aos modelos de luxo, a câmera de ré e o sensor de estacionamento se popularizaram bastante na última década. Seja como equipamentos de série ou como acessórios instalados posteriormente, a dupla barateou e caiu nas graças dos motoristas.

Cotação online de Seguro Auto

Difícil ficar sem

Quem começa a usar se acostuma e dificilmente consegue ficar sem. Motivos não faltam. As manobras de marcha a ré são as mais complicadas. A visibilidade traseira é quase sempre ruim, especialmente em carros maiores, sedãs e picapes.

Portanto, a câmera de ré e sensor de estacionamento conseguem alertar o condutor da existência de objetos que, na maioria das vezes, estão fora do campo de visão dos espelhos retrovisores.

Como funciona o sensor de estacionamento?

O sensor de estacionamento é o mais barato e comum. Pequenos sensores circulares são instalados no para-choque traseiro. Eles identificam a aproximação de obstáculos quando a marcha a ré está engatada.

O motorista é alertado por meio de sinais sonoros e/ou luminosos à medida que o carro se aproxima dos obstáculos. Quanto mais próximo, menor o intervalo entre os bipes. Assim, alguns modelos de sensor de estacionamento trazem um pequeno gráfico. Ele funciona em conjunto com o alarme e mostra a distância em metros que o para-choque está do objeto.

O mais comum é o sensor na traseira. Porém, muitos modelos de carros também possuem o equipamento na dianteira e nas laterais dos para-choques. Isso auxilia ainda mais na hora de manobrar.

Nas plataformas de compra e venda, um sensor de estacionamento pode ser encontrado por preços a partir de R$ 60. A instalação é simples, porém requer mão de obra especializada. Nas lojas de acessórios, o equipamento custa, em média, R$ 180 já instalado.

E a câmera de ré?

Já a câmera de ré necessita de uma tela para projetar as imagens captadas na traseira. Também exigem que a instalação seja feita por profissionais que entendam dos assunto. Existem dois tipos:

  • Tela no retrovisor: é a opção mais barata. No Mercado Livre, seu preço parte dos R$ 200. A imagem é projetada em um espelho que vai instalado sobre o retrovisor interno original. Assim, quando a marcha a ré é desengatada, o espelho volta ao normal e reflete as imagens posteriores.
  • Central multimídia: como o nome já indica, as centrais multimídia reúnem diversas funcionalidades como sistema de áudio e entretenimento, configurações do veículo, navegador. Elas permitem baixar aplicativos e arquivos. Podem espelhar a tela do celular e projetar a imagem da(s) câmera(s) que o veículo possui. No mercado de acessórios, as centrais mais simples custam cerca de R$ 400 e podem chegar aos R$ 3 mil.

Câmera de ré e sensor de estacionamento

O sensor de estacionamento não precisa da câmera de ré para funcionar e vice-versa. No entanto, combinar os dois torna a tarefa de manobrar ainda mais fácil. Isso porque um acaba compensando a limitação do outro.

Por maior que seja a sensibilidade, pode ser difícil detectar alguns objetos, especialmente os mais baixos. Já a câmera de ré muitas vezes não tem uma resolução muito boa, o que pode afetar a percepção do espaço.

Combinados, câmera de ré e sensor de estacionamento se completam. Enquanto a câmera identifica obstáculos que o sensor não consegue alcançar, este dá uma noção exata da proximidade de objetos que aquela tem dificuldade de captar.

Opte sempre pelos equipamentos ao trocar de carro

Ao comprar um carro novo, dê preferência às versões que trazem a câmera de ré e sensor de estacionamento. Sejam como opcionais, acessórios ou itens de série. Na maioria das vezes, um modelo com a central multimídia, por exemplo, é mais valorizado na revenda do que outro exatamente igual, porém sem o equipamento.

Auxiliar de estacionamento

As manobras de baliza sempre foram o terror dos candidatos nas provas práticas para obtenção da CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Realmente, a série de manobras para estacionar longitudinalmente entre dois veículos não é fácil de ser executada, mesmo por motoristas mais experientes.

Sabendo disto, os fabricantes desenvolveram o assistente de estacionamento, ou park assist, que já equipa muitos modelos mais caros. Portanto, com o tempo, deve chegar aos carros das categorias de entrada.

Olha, mãe! Sem as mãos!

O assistente de estacionamento é uma evolução dos sensores de estacionamento de câmeras de ré. Ele auxilia o motorista tanto nas vagas longitudinais como nas transversais. Por meio de sensores instalados nas laterais do veículo, o sistema consegue medir o tamanho da vaga. Assim, consegue guiar o motorista durante a execução da manobra.

Nos sistema ativos, todo o procedimento é feito sem a intervenção do condutor. O controle da aceleração, freio e volante fica todo sob a responsabilidade da central eletrônica do carro. Nos tipos mais simples, é necessário que o motorista use o acelerador ou gire o volante de acordo com a indicação gráfica disponibilizada na tela da central multimídia ou no painel de instrumentos.

Na dúvida, diga sim!

Todo auxílio à condução é bem vindo. Por mais que pareça uma bobagem, depois que nos acostumamos fica difícil ficar abrir mão. Com o barateamento e a popularização da tecnologia, não há porque não optar câmera de ré e sensor de estacionamento quando for possível escolher. Além de facilitar a vida do motorista, vai trazer uma ligeira valorização do veículo na hora da revenda.

Cotação online de Seguro Auto

Última atualização em 2102/2022

 

Deixe uma resposta