Como os Planos de Saúde têm agido em tempos de pandemia

Por 8 de fevereiro de 2021Vida e Saúde
planos de saúde na pandemia

Os planos de saúde colocam à disposição dos consumidores o que é conhecido por “saúde suplementar”. Ou seja, tratamentos que complementam os já fornecidos pelo Estado. Porém, a principal pergunta nos dias de hoje é como estão funcionando os planos de saúde na pandemia?

Será que perderam ou ganharam mais clientes? O que fizeram para contribuir para esse momento da história da saúde de toda a humanidade?

Cotação online de Planos de Saúde

Mudança de rumo dos Planos de Saúde na pandemia

É grande a responsabilidade dos planos de saúde no Brasil desde o início da pandemia.

Em geral, os contratos dos planos de saúde informam que epidemias, desastres naturais e pandemias, são causas de exclusão de cobertura

Com isso, no início da pandemia, as operadoras dos planos passaram a negar algumas coberturas. Entre elas a realização de exames de Covid, internações e tratamento da Covid-19.

Os clientes dos planos não pensaram duas vezes. Entraram com ações judiciais contra as operadoras. Esta medida levou a uma conquista. A edição da resolução normativa 453 da Agência Nacional de Saúde. Ela acrescentou o tratamento e exames de diagnóstico para o coronavírus ao rol de procedimentos de cobertura obrigatória.

Dessa forma, os clientes tinham cobertura caso apresentassem sintomas da infecção. Ou então se simplesmente tivessem contato com alguém suspeito ou confirmado de ter o vírus.

Assim, a conquista dos consumidores também se estende a quem estiver em período de carência. Caso a pessoa apresente sintomas da Covid-19 após 24 horas da contratação do plano, tem direito a ter o tratamento.

Atendimento médico em novo formato dos Planos de Saúde na pandemia

Os planos de saúde na pandemia também sofreram mudança nos padrões de atendimento.

Quando se fala em mudança, não é somente no aumento do número de atendimentos. Mas, também, à forma como são feitos esses atendimentos. 

Nesse contexto, as consultas online conquistaram espaço. Os planos de saúde na pandemia tiveram de se mobilizar. Com isso, as empresas passaram a aperfeiçoar suas plataformas online de atendimento.

Clientes X Planos de Saúde na pandemia

A pandemia tem impacto direto na economia. Então, muitos usuários de planos de saúde abriram mão desse produto no decorrer de 2020.

No final de agosto do ano passado, o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) divulgou números preocupantes. Cerca de 254 mil beneficiários deixaram os planos de saúde somente entre os meses de abril e julho de 2020. Este foi resultado do alto índice de demissões, interrupções de atividades e perda do poder aquisitivo.

Mas a questão é que o setor depende de alguns fatores. Entre eles o próprio rumo da doença e, claro, da economia no Brasil. Isso porque a contratação de um plano de saúde individual, familiar ou mesmo coletivo por adesão está atrelada ao saldo de empregos formais.

Isso sem falar nos planos de saúde empresariais. Aqueles oferecidos pelas empresas aos seus colaboradores, que ocupam a maior fatia do mercado.

Impacto da Covid-19 nos Planos de Saúde empresariais

A pandemia continuará mexendo ainda por tempo indeterminado com os convênios.

Uma pesquisa feita entre maio e junho do ano passado divulgou que 60% das empresas brasileiras devem aumentar custos com saúde.

O aumento para este ano também já tem justificativa. Ele não se refere somente à Covid-19. Mas sim à extensão dos problemas que chegaram junto com o novo vírus.

Muitas empresas observaram a redução de frequência de sinistros médicos. Isso ocorreu por causa de procedimentos e atendimentos que foram postergados.

Por isso, as empresas devem contar com vários procedimentos a partir deste ano. A previsão é que ocorra uma bolha de utilização. Os clientes dos planos devem retomar esses tratamentos e procedimentos de rotina de forma concentrada.

Resumo: um 2020 desafiador para a saúde suplementar

Sem dúvida, 2020 foi um dos mais complexos e desafiadores para os Planos de Saúde na pandemia.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) discutiu com o setor várias medidas para enfrentar a pandemia. Assim, o objetivo é garantir a preservação dos contratos dos mais de 47 milhões de beneficiários.

Algumas medidas se destacaram em 2020.  

Inclusão dos exames para detecção da Covid-19 no Rol de Procedimentos 

De início, o exame RT-PCR foi classificado como o mais eficiente. Depois, a ANS incluiu mais seis exames para diagnóstico. Por fim, incluiu os testes sorológicos. 

Prorrogação dos prazos máximos de atendimentos

Isso refere-se a realização de consultas, exames, terapias e cirurgias eletivas. Assim, é possível  reduzir o número de pessoas circulando nas unidades de saúde. Tratamentos que não podiam ser adiados ou interrompidos foram mantidos. O mesmo foi feito em atendimento de urgência e emergência.

Recomendação às operadoras de planos de saúde 

Os planos de saúde na pandemia precisaram de adaptações em suas redes. O atendimento à distância aos beneficiários foi uma dessas recomendações. 

Flexibilização de normas

A ANS flexibilizou normativas econômico-financeiras. Assim, as operadoras puderam priorizar as ações de combate à Covid-19. Portanto, estabeleceram contrapartidas para proteger os beneficiários e os prestadores de serviços.

Suspensão de alguns reajustes

A Agência decidiu, em agosto de 2020, suspender os reajustes anuais e por mudança de faixa etária por 120 dias.

 

Última atualização em 08/02/2021

 

 

 

Leave a Reply