Skip to main content

Juros compostos: o que é e como calcular?

Por 15 de fevereiro de 2018maio 12th, 2021Finanças
Imagem de moedas para ilustrar post sobre juros compostos

Quando você vai efetuar uma aplicação financeira, ou quando vai fazer um empréstimo, a coisa mais importante é prestar atenção na taxa de juros envolvida, certo? Mas você sabe que esses não são juros simples, e sim juros compostos?

Você conhece a diferença entre os dois? Na hora de fazer as contas, isso é muito importante!

Juros compostos: juros sobre juros

O regime de juros compostos é o mais comum no mercado financeiro. Esse é o tipo de juro que incide sobre os empréstimos e rendimentos de investimentos.

Nesse regime, cada vez que há incidência de juros, eles incidem sobre o montante total de cada período. Isso inclui os juros do período anterior.

O resultado é que o montante total (quer seja um investimento ou uma dívida) cresce muito mais rapidamente do que se houvesse a incidência de juros simples. Ou seja, de juros que incidem sempre sobre o montante inicial.

Exemplo de aplicação de juros compostos

Imagine que você inicia um investimento fazendo uma aplicação de R$ 1000,00. Vamos supor como exemplo, a título de simplicidade, que esse investimento proporciona rendimentos de 10% ao mês.

Veja como fica o montante do investimento mês a mês:

Um mês: você tem 1000 + 10% de 1000 = 1000 + 100 = 1100 reais.

(Observe que houve um acréscimo de 100 reais nesse mês)

Dois meses: agora os juros incidem sobre o montante total, e você fica com:

1100 + 10% de 1100 = 1100 + 110 = 1210 reais.

(Observe que nesse mês o acréscimo foi de 110 reais)

Três meses: novamente os juros incidem sobre o montante total:

1210 + 10% de 1210 = 1210 + 121 = 1331 reais

(Nesse mês, o acréscimo foi de 121 reais)

Como você pode ver, a cada período o montante é acrescido de um valor maior.

Fórmula para aplicação de juros compostos

Existe uma fórmula prática para calcular o montante após a incidência de juros compostos:

Fórmula de juros compostos

onde:

M é o montante final

C é o capital inicial investido

i é a taxa de juros, em %. Ex.: se a taxa é de 13%, então i = 13.

t é o tempo de aplicação

Note que se a taxa for mensal, t deve estar em meses; se a taxa for anual, t deve estar em anos, e assim por diante.

O Banco Central do Brasil disponibiliza em seu site uma calculadora para simulação da aplicação de juros compostos.

Saiba mais sobre esse tema lendo sobre os juros do cartão de crédito.

+ Consolidação de dívidas. O que é?