Skip to main content

Jardim embaixo da janela: a natureza perto de você!

Por 20 de maio de 2022Residencial e Lazer
jardim embaixo da janela

É inquestionável o poder que a natureza exerce sobre nós, levando calma, beleza, entre outras qualidades. Por isso, que tal ter um jardim embaixo da janela?

Em tempos de curtir cada vez mais a casa, cultivar um jardim embaixo da janela pode significar mais do que ter uma bonita decoração que se destacará na paisagem. Um jardim embaixo da janela pode se transformar em uma verdadeira terapia para quem vai cuidar ou simplesmente admirar a beleza das plantas e flores.

Cotação online de Seguro Residencial

Dicas para ter o jardim embaixo da janela

Para ter um jardim embaixo da janela é preciso contar com a criatividade e, claro, algumas dicas práticas que podem facilitar o acesso às plantas que são mais adequadas para ter em casa. Além disso, é importante conhecer algumas técnicas que certamente contribuirão para uma decoração ainda mais bonita e aconchegante.

E levar para casa o ar especial que as plantas generosamente doam para qualquer ambiente é algo simples, que pode ser feito até mesmo em janelas de apartamentos.

Mais: um jardim embaixo da janela, além de levar a natureza para perto de quem vive em espaços pequenos, também é a solução para aqueles que moram em casas com luminosidade precária. Isso porque o jardim estará do lado de fora e esta barreira é rompida. Sem contar o fato de um jardim externo ainda aliviar a barra de quem esquece de regar as plantas que ficam dentro de casa.

Começando pela escolha

Mas para abrir a janela e sentir a alegria da prazerosa experiência de se deparar com belas plantas e flores é preciso saber escolher.

Mais do que optar pelas espécies que mais agradam, é importante estar atento às questões que se referem à vida de cada uma delas. É preciso, por exemplo, saber se as espécies escolhidas podem ou não ficarem sob a luz solar por muitas horas. Dependendo da localização da janela o sol pode incidir por muito tempo e, apesar de a luz natural ser necessária para a fotossíntese, cuidados podem ser necessários.

Outro detalhe importante se refere ao fato de o jardim de janela ter um reservatório de água, o que permite que as plantas fiquem vários dias sem irrigação. Dependendo dos tipos escolhidos, é importante saber que podem existir necessidades diferentes. Sim, as flores e plantas têm necessidades diferentes também em relação à quantidade de água, além da luz.

Saber escolher, portanto, plantas da mesma “família” é uma dica importante, que deve se juntar à parte mais gostosa da história: compor um jardim embaixo da janela com cores, perfumes e formas que levarão muito mais alegria aos dias.

Como escolher as floreiras e dicas de cultivo

Além de pensar nas plantas e flores que deseja cultivar, um passo essencial é escolher a caixa e o local onde deseja pendurá-la. Avalie com atenção o peso de uma floreira, já que ela estará cheia de solo e plantas e ficará ainda mais pesada quando estiver molhada.

Levando tudo isso em conta, a dica é adquirir uma caixa resistente – feita de madeira como sequóia ou cedro, de preferência, já que as de pinho apodrecem com rapidez.

Os especialistas em jardinagem trazem um alerta importante. Observar sempre se a floreira tem orifícios de drenagem, assim a água não fica acumulada, trazendo vários benefícios.

Outra dica é fazer uma camada de 5 cm de argila expandida ou de pedra brita na caixa, para depois preencher com solo para envasamento (a indicação é que o preenchimento seja feito até a metade da caixa) e, por fim, adicionar as plantas.

É importante que as plantas sejam colocadas com alguns centímetros de distância para terem espaço suficiente para crescer.

É verdade que há quem prefira já fazer uma floreira impactante, com mais flores chamando a atenção. Por isso, prefere plantá-las mais perto, sem dar o espaçamento necessário para o crescimento. Ok, isto pode ser feito, mas é preciso saber que as podas deverão acontecer com frequência para evitar a superlotação.

Para finalizar o cultivo, assim que todas as plantas estiverem no lugar escolhido, basta preencher as lacunas com mais solo. Então, limpe levemente ao redor das plantas para que o projeto fique impecável.

Mas a irrigação da floreira merece sim muita atenção, pois deve também respeitar a necessidade das plantas. Por isso, vale contar com a ajuda dos profissionais encontrados nos locais de compra de plantas para saber sobre as necessidades das espécies escolhidas.

+ Seguro Residencial cobre danos ao jardim?

Floreiras de materiais diversos

É possível encontrar no mercado floreiras feitas de diferentes materiais – vasos ou prateleiras, por exemplo. A atenção deve estar no fato de a estrutura não comprometer o movimento de abertura da janela. É válido também estar atento à intensidade de vento do local para a escolha do melhor material e sua fixação (em geral, com parafusos).

Plantas e ideias mil

Já falamos que a criatividade para fazer uma floreira embaixo da janela é ilimitada. Vale sim experimentar na escolha das plantas. Além das mais queridas, as floreiras podem receber uma série de espécies compondo arranjos personalizados e em sintonia com a casa – e seus moradores, claro!

Mas para ter floreiras belas, os especialistas indicam a composição com três tipos de plantas: as protagonistas, as coadjuvantes e as figurantes.

Dessa forma, é possível ter volume e uma coleção de cores e formas que certamente vão se destacar na paisagem.

Protagonistas: as plantas que atraem a atenção e dão todo o direcionamento para o restante do design.

Exemplos:

  • Íris Africana (flores exóticas que ficam no topo de folhas longas e pontiagudas);
  • Muda Alocasia (grandes folhas verde-esmeralda);
  • Cóleus (maciças, folhas eretas que preferem sombra);
  • Alegria de Jardim (levam perfume ao local e atraem borboletas).

Coadjuvantes: instaladas nas laterais, levam suavidade e romance à floreira.

Exemplos:

  • Petúnia Branca (apresenta crescimento rápido e adiciona charme típico de casa de campo);
  • Sedum rupestre Angelina (suculenta);
  • Gerânio Rosa (florescem no verão).

Figurantes: são as plantas que cobrem os espaços vagos entres os dois grupos anteriores – protagonistas e coadjuvantes.

Exemplos:

  • Caládio (apresenta folhas com centro branco);
  • Agastache (flores lilás que combinam com várias outras cores);
  • Maria sem-Vergonha (com rápido crescimento, preenchem com perfeição os espaços vagos na floreira).

Cotação online de Seguro Residencial

Última atualização em 20/05/2022

Deixe uma resposta