Skip to main content

Entendendo o astigmatismo

Por 24 de junho de 2022Vida e Saúde
hospital dos olhos

Quando se fala em cuidados com a saúde, os olhos, muitas vezes negligenciados, devem ser parte constante de atenção.

Afinal, independentemente do fator idade, uma série de doenças pode se instalar como, por exemplo, o astigmatismo.

Trata-se de um problema que pode ser detectado facilmente por especialistas, os oftalmologistas. Para isso existe hospital dos olhos, espaços repletos de recursos a serviço de pacientes que realizam visitas preventivas ou mesmo necessitam de tratamentos.

Cotação online de Planos de Saúde

O que é o astigmatismo

Estamos falando de um defeito na curvatura da córnea (estrutura transparente que recobre os olhos), que faz com que a imagem na retina fique distorcida.

Em uma pessoa com visão normal, a córnea apresenta formato esférico. Mas quando a córnea tem deformações, o paciente costuma enxergar borrões nos objetos. Ou então estes podem ser vistos até mesmo duplicados, caracterizando o astigmatismo.

Em resumo, aqueles que têm este problema não enxergam com 100% de nitidez. Eles enxergam todos os objetos distorcidos – os que estão distantes e mesmo os que estão próximos. As imagens, de acordo com a definição de quem tem astigmatismo, ficam embaçadas e isso se explica pois alguns raios de luz são focalizados e outros não.

A boa notícia é que o astigmatismo é facilmente tratável na maioria dos casos. Mesmo sendo associado, geralmente, a outros problemas de refração como miopia e hipermetropia.

Vale saber que uma pessoa pode nascer com essa condição ou desenvolvê-la no decorrer da vida. De acordo com os especialistas, na maioria das vezes, o quadro surge em pessoas com histórico familiar ou que coçam muito os olhos. Mas o astigmatismo pode sim aumentar com o passar do tempo.

Os tipos de astigmatismo

Essa condição é classificada de duas formas: regular ou irregular.

No astigmatismo regular, a córnea tem formato oval (e não esférica, que seria a condição normal).

Já no astigmatismo irregular, a deformação é desigual, como se a córnea estivesse amassada.

Diante dessas condições, os pacientes com astigmatismo enxergam os objetos como se estivessem borrados ou até duplicados. Quando leem um livro, por exemplo, algumas letras são legíveis e outras, não.

O diagnóstico

É preciso ir a um hospital dos olhos ou consultar um oftalmologista para uma avaliação. Para detectar a doença, o especialista faz um teste de visão simples. Nele, o paciente tenta ler letras e números de vários tamanhos que são projetados na parede, exame similar ao que é feito para detectar miopia e hipermetropia.

Quando o paciente tem astigmatismo, simplesmente não consegue fazer essa leitura das letras e números. O próximo passo é o oftalmologista colocar em ação um equipamento conhecido como autorrefrator. Ele identifica o eixo da curvatura defeituosa da córnea para então definir o tratamento – que pode ser o uso de óculos, lentes ou mesmo a realização de uma cirurgia a laser.

Os tratamentos à disposição

Os meios mais comuns de tratar o astigmatismo são simples: uso de óculos e lentes de contato que, basicamente, compensam o problema com uma curvatura especial, de acordo com a necessidade do paciente.

Mas até determinado grau de defeito na curvatura da córnea, o oftalmologista pode resolver o problema em definitivo realizando uma cirurgia a laser. Ela atua diretamente na córnea transformando-a em esférica, que é a curvatura normal. Isso pode ser feito em hospital dos olhos ou hospitais que atendam essa especialidade.

Astigmatismo nas crianças e até em bebês

Muitos pais não sabem, mas é imprescindível levar bebês e crianças ao oftalmologista para fazer o teste do olhinho. A recomendação é fazer isso logo após o nascimento e também levar a criança ao especialista no primeiro ano de vida.

É uma conduta indicada mesmo que a criança não apresente algum sintoma ou que os pais não tenham percebido uma mudança de comportamento. Mais: é essencial levar em conta que a maioria das crianças não sabe explicar se está enxergando bem ou não. Então, por precaução, é recomendado levar os pequenos para uma consulta.

Além disso, nesta fase inicial da vida da criança, muitas doenças podem ser diagnosticadas e tratadas, sendo que algumas delas com medidas simples.

Existe prevenção para o astigmatismo?

Segundo os oftalmologistas, não há uma receita para prevenir todos os casos de astigmatismo. Porém, há sim uma dica importante para reduzir um pouco o risco: não coçar muito os olhos.

No mais, é válido ficar atento aos sintomas e à qualidade da visão. Assim como qualquer outro problema de saúde, quanto mais cedo for identificado, mais fácil será o tratamento.

No caso de astigmatismo, o paciente começa a ter como sintomas dor de cabeça, coceira e cansaço visual em virtude do desconforto.

Os principais sintomas

  • Visão embaçada/distorcida/dupla
  • Dificuldade para enxergar de perto e de longe
  • Dor de cabeça e nos olhos
  • Cansaço ocular
  • Sensibilidade à luz (a chamada fotofobia)
  • Confundir letras ou números parecidos. Exemplo: trocar N por M ou o número 8 por 6 ou 0
  • Piora da acuidade visual à noite

Diante de quadros assim, a procura por um hospital dos olhos ou um especialista se faz urgente. Isso amplia as chances de a pessoa chegar a tempo de fazer a cirurgia que pode resolver o problema em definitivo. Ou então, ao menos, aumenta as chances de evitar que problemas mais graves se desenvolvam.

Os especialistas recomendam visitas anuais ao hospital dos olhos ou clínica oftalmológica para prevenção e, claro, tratamentos caso algo seja detectado.

Segundo eles, devemos levar isso a sério com o apoio de ampla rede de oftalmologistas e de espaços especializados que estão aí para contribuir para a saúde ocular com o que há de mais moderno nessa área médica.

Cotação online de Planos de Saúde

Deixe uma resposta