Skip to main content

Direita Livre – Nova regra que deixa furar semáforo vermelho

Por 21 de novembro de 2022Mobilidade
furar semáforo

Não foram só os aumentos de pontos e da validade da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), nem o fim da obrigatoriedade de faróis acesos nas estradas durante o dia. Entre as alterações que entraram em vigor com a Lei 14.071/2020, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) a partir de 12 de abril de 2021, a que permite furar semáforo tem chamado a atenção nos últimos tempos. Trata-se do Artigo 44, cujo o texto diz:

  • Art. 44. Ao aproximar-se de qualquer tipo de cruzamento, o condutor do veículo deve demonstrar prudência especial, transitando em velocidade moderada, de forma que possa deter seu veículo com segurança para dar passagem a pedestre e a veículos que tenham o direito de preferência.
  • Art. 44-A. É livre o movimento de conversão à direita diante de sinal vermelho do semáforo onde houver sinalização indicativa que permita essa conversão, observados os arts. 44, 45 e 70 deste Código.
  • Art. 45. Mesmo que a indicação luminosa do semáforo lhe seja favorável, nenhum condutor pode entrar em uma interseção se houver possibilidade de ser obrigado a imobilizar o veículo na área do cruzamento, obstruindo ou impedindo a passagem do trânsito transversal.
  • Art. 70. Os pedestres que estiverem atravessando a via sobre as faixas delimitadas para esse fim terão prioridade de passagem, exceto nos locais com sinalização semafórica, onde deverão ser respeitadas as disposições deste Código.

Cotação online de Seguro Auto

É só dar seta e virar

Na prática, a nova lei permite que seja feita uma conversão à direita mesmo que o semáforo esteja vermelho. O objetivo é dar maior fluidez ao tráfego, uma vez que em muitos cruzamentos é possível fazer a manobra sem colocar a segurança em risco.

Entretanto, o Art.44-A tem uma “pegadinha”. O texto afirma que só é permitido fazer a conversão quando houver sinalização indicando. Caso contrário, o condutor vai cometer uma infração gravíssima, com perda de sete pontos na CNH e multa de R$ 293,47.

Cada lugar, um tipo de placa

O problema é que a sinalização não foi regulamentada pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito), que precisa criar sinalização específica, de forma a padronizar os critérios para todo o país. Assim, cada município criou sua própria placa, o que pode confundir o motorista.

Em comunicado, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran SP) afirma que é possível que o órgão de trânsito instale placas de indicação do tipo educativas, com a informação “conversão à direita liberada no semáforo vermelho”.

Portanto, a tal conversão livre não pode ser realizada em todos os cruzamentos. Dessa forma, é fundamental que o motorista sempre se certifique da sinalização, assim que for fazer a manobra para não furar semáforo.

E os pedestres?

Outra questão é a presença de pedestres para atravessar a via no momento de fazer a conversão e furar semáforo. Como sempre, a preferência sempre é do pedestre em cruzamentos de ruas contínuas. Assim, a ação pode ser muito perigosa em vias movimentadas.

Lá fora a medida existe

A medida já existe em outros países, como por exemplo, no Canadá e em alguns estados dos Estados Unidos. Entretanto, nesses locais, furar semáforo para fazer a conversão só pode em vias com limites de velocidade reduzidos. Na nova lei do CTB, não ficam estabelecidos critérios referentes à velocidade.

Viro ou não viro?

Apesar de a sinalização ainda carecer de regulamentação, a lei permite fazer a conversão à direita mesmo com o semáforo fechado. Se você encontrar a placa permitindo a conversão, observe se há pedestres, ciclistas ou outros veículos e faça a manobra.

Cotação online de Seguro Auto

Última atualização em 21/11/2022

 

Deixe uma resposta