Skip to main content

Quando vale a pena fazer empréstimo para quitar dívidas?

Por 22 de outubro de 2020setembro 21st, 2021Finanças, Mobilidade

Devo não nego, pago quando puder. Já ouviu essa frase, certo? Pois é, as dívidas são um verdadeiro pesadelo que tiram o sono de muita gente. Uma das maneiras mais conhecidas de crédito para aliviar nas despesas é o empréstimo pessoal. Conforme uma pesquisa do Google Survey de 2019, mais da metade dos brasileiros utilizam o empréstimo para quitar dívidas. 

Espera um pouco, mas será que realmente vale a pena pegar empréstimo para pagar suas dívidas? E quais cuidados devemos ter antes de solicitar crédito pessoal nessa situação? Para entender melhor o assunto, acompanhe o nosso post! 

Solicitar Empréstimo Pessoal

Tenho dívidas, o que fazer?

Antes de pensar em empréstimo para quitar dívidas, o primeiro passo a tomar é entender exatamente a sua atual situação financeira. O que isso significa? Detalhar, através de uma planilha de gastos, tudo o que se recebe e gasta durante o mês. Assim, é mais fácil identificar quais são as dívidas e onde houve excessos. 

A organização financeira é crucial para ajudar a controlar as despesas, sobretudo para quem está inadimplente. Inclusive, o empréstimo, caso seja realizado, não pode se tornar outro gasto e mais uma dor de cabeça. Como dica, use uma planilha ou escolha um aplicativo financeiro para organizar o orçamento

Para detalhar as dívidas, vale anotar tudo o que for possível a respeito delas, como: 

  • Valor; 
  • Credor; 
  • Tempo de inadimplência; 
  • Dados e custos de juros e multas. 

Note que juros e multas, assim como o tempo, impactam diretamente no aumento do valor total da despesa. Ou seja, o tipo de débito interfere na escolha da forma de pagamento, seja o empréstimo ou outro caminho a desejar. 

Por exemplo, uma dívida no cheque especial, que tem juros altos, deve pesar na decisão de procurar uma alternativa mais rápida para quitar o débito. Priorize os gastos mais urgentes e aqueles com maior taxa de juros. Cuidado com a temida bola de neve, ok? Do contrário, certas pendências podem se multiplicar em alguns meses e dificultar bastante o pagamento.

E outra dica valiosa: busque negociar as dívidas diretamente com os credores. Sim, o ideal é resolver esse incômodo o quanto antes. Então, procure entrar em acordo em novas condições de pagamento (valores, prazos e parcelas), desde que respeite o seu orçamento. 

O importante é estar ciente do quanto é possível negociar, levando em conta o planejamento financeiro mapeado anteriormente. Para ajudar, vá com alguma proposta de negociação viável a sua situação momentânea. 

Certo, agora vamos saber quando vale a pena solicitar empréstimo para quitar dívidas. 

Afinal, quando vale a pena fazer empréstimo para quitar dívidas? 

Já é sabido que o empréstimo pessoal é uma das modalidades de crédito mais populares disponíveis no mercado, sobretudo pela facilidade e rapidez no processo. Porém, não é qualquer débito em aberto que pode significar o motivo para pegar uma grana emprestada

Como falamos de despesas, a solicitação do empréstimo deve ser entendida como uma troca. Ao invés de manter muitas dívidas, de diferentes naturezas, substitui por apenas uma, a do empréstimo. Aí você pode dividir pelo número de parcelas conforme a sua realidade financeira. É uma forma de centralizar o pagamento e ajudar no seu controle de gastos. 

+ Conheça o passo a passo para fazer empréstimo pessoal

Tá certo, chega de mais rodeios, vamos conhecer em quais situações vale a pena pegar empréstimo para quitar dívidas. Confira:

Juros do empréstimo forem mais baixos 

Sim, os juros costumam ser os vilões em qualquer dívida. A depender do tipo de imposto, um débito de R$ 10 mil pode rapidamente dobrar e ganhar uma proporção preocupante. Em compensação, é possível contratar um empréstimo com juros menores se comparado com os da dívida. 

Aliás, não somente a taxa de juros é importante. Procure saber sobre o Custo Efetivo Total (CET), o que equivale a soma de todos os custos (incluindo, os juros) cobrados nos empréstimos e financiamentos. 

Tem a certeza que os tributos do empréstimo são mais baixos dos que estão em vigor na dívida? Bom sinal, impede que o prejuízo seja maior e não fuja do seu controle. Sem esquecer que, enquanto o relógio das dívidas não para de correr, o empréstimo pode ser parcelado a longo prazo, facilitando o pagamento. 

Dívidas no cartão de crédito e cheque especial

Os juros elevados do cartão de crédito e cheque especial são dois dos mais altos do mercado. Sabe aquelas contas que não param de se multiplicar? Aqui, é hora de ligar o alarme e priorizar resolver essas pendências o mais rápido que puder. Caso demore, a conta fica exorbitante e dificulta bastante para se quitar o débito à vista. 

O endividamento tanto na rotativo do cartão de crédito como o uso do cheque especial são situações comuns para muitos brasileiros fecharem o mês. Para se ter uma ideia, os juros do rotativo do cartão de crédito costumam ultrapassar os 300% ao ano. No entanto, o empréstimo pessoal geralmente não chega a 90% ao ano, em média. 

Por isso, não bobeie: troque juros altíssimos por um empréstimo com juros mais baixos e acessíveis à sua realidade. 

Necessidade em deixar o seu nome limpo 

Estar com o nome sujo é um verdadeiro impedimento para se fazer muitas coisas. Seja trocar um carro, alugar um imóvel, fazer um financiamento ou, até mesmo, uma simples compra no comércio. 

Ao menos, a contratação do empréstimo não consta como uma nova dívida. Como assim? Isso mesmo, é possível adquirir um crédito pessoal, pagar as despesas, limpar o seu nome e continuar pagando as parcelas do empréstimo sem maiores problemas. 

Caso tenha pressa em sair do negativo, é uma forma rápida e simples de dar adeus aos órgãos de crédito. 

+ Entenda como funciona o empréstimo pessoal para negativado

Pagar dívidas inegociáveis

Sim, nem sempre é fácil negociar com quem se está devendo. Ainda mais, quando falamos das instituições financeiras, na qual têm regras e normas a cumprir. Enquanto não se encontra uma solução, a dívida continua aumentando. 

Para isso, o empréstimo para quitar dívidas pode ser a saída que estava procurando. Não somente por se livrar do débito, mas também por garantir condições mais apropriadas ao seu bolso. Ou melhor, juros e prazos que estejam de acordo com o seu orçamento, evitando um novo excesso. 

Quando há desconto ao pagar à vista

Uma forma vantajosa que possibilita o acerto da dívida é quando ocorre a chance de quitar o débito à vista. Isso acontece ao negociar diretamente com o credor, na qual é disponibilizada uma redução na dívida em troca de pagar em apenas uma parcela. 

Deste modo, a solicitação do empréstimo seria útil, em virtude de usar o dinheiro para saldar o débito de uma vez. 

Caso queira buscar descontos com quem esteja devendo, não desista. Vale ficar de olho nos chamados mutirões de renegociação, onde as instituições financeiras oferecem descontos aos inadimplentes. 

Lembrando: o empréstimo não deve comprometer o seu orçamento e se tornar mais um gasto extra. É preciso, sim, fazer um planejamento financeiro (lembra no começo?) para botar as contas em ordem. Pegar um empréstimo sem estar ciente de sua situação e de como pagará é assumir um risco desnecessário. 

Quais os cuidados se deve ter antes de pegar empréstimo para quitar dívidas?

Como se trata de uma transação financeira, certos cuidados devem ser redobrados ao pegar empréstimo para quitar dívidas. O que avaliar direitinho para não ser pego de surpresa depois? Elencamos alguns cuidados, acompanhe: 

Juros e encargos cobrados 

Informe-se e pesquise a respeito da taxa de juros e de todos os custos do empréstimo. Compare o CET do crédito com o existente da dívida. Fique por dentro desses valores para conseguir decidir com clareza se o empréstimo realmente vale a pena. 

Valor das parcelas

Ao escolher o empréstimo, verifique se o valor acordado das parcelas esteja dentro de sua realidade financeira. Vai atrapalhar a sua renda depois de um certo tempo? Então, talvez vale dar um passo atrás e encontrar um valor correspondente às suas possibilidades. 

Recomenda-se que o valor destinado a quitar as dívidas não ultrapasse 30% de sua renda mensal. 

Golpes e fraudes

Bateu o desespero? Não saia aceitando o anúncio mais tentador, nem procure meios escusos que forneçam dinheiro rapidamente. Evite passar dados pessoais a empresas ou a pessoas pouco confiáveis, e não saia assinando um contrato sem ler tudo o que está escrito. Pode, sim, ser uma cilada imensa, cuidado!

+ Saiba dicas para não cair no golpe do empréstimo

Busque fazer empréstimo para quitar dívidas em instituições financeiras sérias, com credibilidade e que transmitam segurança no processo. 

Quais os outros caminhos além do empréstimo para quitar dívidas? 

Se preferir outras formas de conseguir uma grana que não envolva empréstimo para quitar dívidas, não tem problema. Listamos algumas sugestões para sair do vermelho, confira: 

  • Renegociar as dívidas, sem que haja novos excessos nas despesas; 
  • Ter uma fonte de renda extra, mesmo que temporária; 
  • Cortar gastos que não sejam essenciais no orçamento; 
  • Vender bens, como carro ou imóvel; 
  • Pedir dinheiro emprestado a amigos ou parentes que sejam de confiança, visto que os juros podem ser baixos ou nem existir.

Porém, o empréstimo para quitar dívidas é uma solução um tanto vantajosa como vimos. Quer fazer uma simulação de empréstimo na Bidu Corretora? Não demora nada, é rápido e fácil! 

+ Fiz um empréstimo e não paguei. E agora?

 

Última atualização em 22/10/2020